Sou mais a Bahia, Governo da Bahia.

Sou mais a Bahia, Governo da Bahia.

Chegou a hora de levantarmos a voz contra o racismo



 

Barrado no restaurante. Preso por cinco anos sem passar por audiência. Só pode ser filha de ladrão ou prostituta. Acusada de roubo que era inocente. Menina bastarda. Deve ser viciado. Imaginou os personagens enquanto lia? Quantos deles eram brancos? E negros? A Bahia é o estado com maior população negra do Brasil, reconhecido pela música e gastronomia, cultura fortemente influenciada pelos povos africanos.

Apesar da representatividade da cultura negra estar presente em cada canto do estado, os registros de preconceito contra a raça seguem em ascensão. Desde a fundação, em 2013, o Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, da Sepromi, registrou 603 queixas, sendo 348 por racismo, 187 por intolerância e 66 casos correlatos. Ao longo de seis anos, estes números saltaram de 14 em 2013 para 141 casos em 2018.

 

 

Como pode ver, os relatos de racismo são ainda – e infelizmente – tão frequentes que o Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial – Sepromi, lançou mais uma campanha de conscientização para que a população levante a voz contra a discriminação racial.

Em um vídeo incômodo, forte e muito franco, a campanha coloca em pauta um crime que muitos não enxergam ou não querem debater. Uma ferida que precisa ser reconhecida e discutida por todos.

 

Criadas pela Objectiva sob o tema “Todas as vozes contra o racismo, todas as leis contra os racistas”, as peças circulam em mídias on e off de todo o estado.

É hora de levantar a voz contra a intolerância e abafar o grito contra os negros. A Sepromi tem um canal direto para qualquer cidadão denunciar um ato racista. Ligue: 71 3117-7448.

Cadastre-se





*Preencha o campos corretamente para receber mais informações